Arquivo

Archive for junho \30\+00:00 2021

(Review – PC) Polyroll

30 de junho de 2021 1 comentário

20210629193338_1

Aproveitei pra comprar o Polyroll da Hof Studios a preço de banana na atual promoção da Steam. Trata-se de uma espécie de clone de Sonic para PC e Nintendo Switch que deu a cara várias vezes na Sonic Amateur Games Expo mesmo depois de lançado mas que sei lá porque eu nunca tinha experimentado.

20210629180813_1

A historinha do jogo é bem o Sonic 1 mesmo, com um pássaro Kiwi no lugar do Dr. Eggman sequestrando um punhado de tatús-bolinhas e o herói Polyroll (que é igual aos demais) indo atrás em busca de justiça.

A jogabilidade é ainda mais simples, sem a famosa física 360º do ouriço mas ainda ágil e com sua alma de bolinha de gude intacta: dá pra rolar e usar spin dash para saltar por rampas, rodopiar ao topo de postes e quicar em paredes opostas para alcançar lugares secretos. Além disso há também escudos que são usados para destruir barreiras, planar ou atrair as gemas que recuperam energia.

20210629183925_1

A mecânica de descer os disquetes nos drives para liberar barreiras tem papel importante no chefe desta fase.

Os conjuntos de fases tem 3 atos e um chefe no fim de cada terceiro. Cada ato oculta 3 joias douradas que servem para destravar barreiras no mapa mundo do jogo. Se ir coletando esses itens, poderá escolher rotas alternativas até o final da aventura e acessar 3 fases bônus com percursos de obstáculos brutais que valem energia extra.

É preciso encontrar 40 joias para enfrentar as duas fases finais, o que é um objetivo razoável. Tanto que acabei terminando o jogo em duas horas sem completar a segunda zona, depois de ter tomado a rota alternativa pelo mapa.

20210629185210_1

A maior qualidade do Polyroll é o level design desafiador que faz ótimo uso das habilidades do protagonista-bolinha para superar obstáculos. Ainda que pareça curto para os tempos modernos, é coisa de se jogar até o fim com gosto numa única sessão e que honra os jogos clássicos do ouriço azul mesmo sem a complexa física de rampas que tanto cobramos deles. Fortemente recomendado.

Categorias:Games, Indie, Reviews Tags:,

Demo de Spark The Electric Jester 3 disponível

25 de junho de 2021 1 comentário

Em ocasião do aniversário do Sonic, nosso conterrâneo LakeFeperd soltou na Steam uma demo do Spark The Electric Jester 3, onde o formiga bobo-da-corte agora veste jaqueta, dirige carro turbinado e desliza em caninhos. Eu queria muito experimentar esse negócio, mas meu notebook mal roda o segundo jogo direito e este aqui nem carregar a primeira fase carregou, diacho…

Pra quem gosta do estilo das fases do Sonic e do Shadow no Sonic Adventure 2, o trailer acima deixa claro que Spark 3 é uma excelente opção. A demo tem conteúdo demais como de costume pro cara, então se puderem vão lá baixar ela.

(Review – NES) Slow Mole

19 de junho de 2021 2 comentários

SlowMole_0_9_mapper2_018

Encontrei no Twitter este homebrew para NES chamado Slow Mole, criado por Erik Rosenlund e que eventualmente terá uma versão comercial em cartucho com conteúdo extra. Como tem um beta 0.9 disponível gratuitamente que é jogável até o fim, por curiosidade pelo nome e a tela título baixei a ROM pra mim.

SlowMole_0_9_mapper2_021

Surpresa: trata-se de um platformer masocore pauleira sem dó nem piedade. A toupeira é lenta, sua única habilidade é um pulinho e uma precisão extrema é necessária para guiar o bicho de tela em tela. O jogo simplesmente força a terminar cada tela o mais rápido possível, pois se o relógio zerar a próxima não conta como checkpoint! O modo de dificuldade fácil aumenta o relógio em um segundo mas parece não alterar obstáculos nem nada. Fazer o que, depois de um tempo tentando jogar na raça acabei apelando pra save states no emulador.

SlowMole_0_9_mapper2_005

Engraçado é que por mais raiva que a gente passe nesse gênero, é fácil viciar e insistir até chegar ao fim numa única sessão pra valer o esforço — a famigerada “Falácia dos Custos Irrecuperáveis”. Até me fez postar no blog duas vezes no mesmo dia, depois de um mês arregaçado! O jogo se segue por vários grupos de fases, cada uma com seus próprios obstáculos e mecânicas interessantes, pelo que parece ser uma eternidade até que do nada diz chega e bota a toupeira numa salinha com cama onde ele pode deitar e pular em cima. Fofo.

SlowMole_0_9_mapper2_014

Se quiser dá pra jogar uma nova rodada com menos tempo no relógio (segure B+Select na tela título para começar neste modo), o que deve tornar muitos dos checkpoints impossíveis de se obter. Caso termine este modo difícil ou tenha um desempenho excelente no modo normal, 15 fases secretas serão reveladas mas não tô com saco pra isso agora diacho devia ter lido todos os posts do dev e me spoilado pra começar no modo difícil de uma vez

Fica a dica pra quem também curte se autoflagelar um bom desafio.

Categorias:Games, Indie, Reviews Tags:, ,

(Indie) Rog and Roll

19 de junho de 2021 3 comentários

20210619152911_1

Tá rolando uma exposição de demonstrações na Steam, uma versão mainstream da Sonic Amateur Games Expo com indies de montão disputando os holofotes. Lembrei de baixar a demo de Rog & Roll por lá, que é um jogo que tenho acompanhado por um bom tempo no Twitter. Sim, qualquer jogo com bolota rolante que aparece por lá na tag #screenshotsaturday eu sigo e retuíto sempre que possível…

20210619153254_1

A demo tem quatro fases: floresta, cidade, casa assombrada e por fim outra de cidade só que mais difícil. E também um chefe pra caprichar. Os controles são mesmo simples, mas desgostei da física do personagem no ar pois ele não pode mudar de direção rapidamente. Rog pode rolar para saltar mais longe e ganhar velocidade ao atingir inimigos, embora seja preciso prestar atenção nos obstáculos já que até rolar numa parede ou item errado pode quicar o herói num buraco por acidente.

Pois é, quando ele quica nas paredes, blocos e baús ele toma knockback como se levasse dano e perde o controle. Eu bem que pensava em colocar isso no Cosmic Boll mas deixava pra lá pra não irritar as pessoas, hahaha.

20210619153930_1

O visual é 2.5D com ótima pixel art e gráficos poligonais simples mas charmosos. Certamente existirão fases na versão final onde o espaço 3D terá algum efeito no level design. Um detalhe interessante é que é possível selecionar itens de cura e ataque durante a jornada, mas na demo não há lojinha e cada fase começa com um conjunto específico.

Fica aqui a dica para vocês também experimentarem enquanto a demo estiver no ar.

Categorias:Games, Indie Tags:,