Arquivo

Archive for janeiro \30\UTC 2013

(Review – Browser) Meteor Storm Escape

30 de janeiro de 2013 Deixe um comentário

MeteorTitle
Lembro de ter visto o Meteor Storm Escape criado pelo casal Happy Little Aliens (Sean Butler e Mary Jackson) há vários meses em tópicos de screenshots na Tigsource e achado legal. Ele foi lançado para os portáteis da Apple há alguns dias e também há uma versão para browsers que requer o plugin Unity para funcionar.

Meteor Storm Escape é um jogo de corrida arcade infinito. A nave acelera automaticamente, acompanhada por meteoros que caem adiante. Enquanto desvia dos meteoros e outros obstáculos, pode segurar o botão de turbo por algum tempo para saltar e fazer manobras que são a única forma de recuperar turbo, de acordo com a complexidade das piruetas.
MeteorGameplay
Manobras são feitas ao segurar X e girar a nave, que se ajusta para pousar automaticamente quando não está girando. É possível manobrar no solo às vezes, mas geralmente a nave trata isso como se estivesse batendo e perde escudo.

Como o combustível da nave é limitado e nunca alcança o próximo checkpoint por conta própria, é preciso usar sabiamente uma grande parte do turbo durante uma subida para saltar longe e rodar várias vezes sem falhar para recuperá-lo. Pulos deixam a nave exposta aos meteoros e pousar sem bons resultados resultará em derrota, mas como velho fã do Sonic e suas rolações por rampas, digo que é divertido correr esses riscos.
MeteorGameOver
Em geral o jogo é legalzão como os demais runners infinitos bem-pensados. Só me incomoda a hitbox da nave que aleatoriamente perde escudo quando mal está raspando obstáculos, mas pelo menos é possível recuperar o escudo mesmo com Game Over escrito na tela se houver um powerup por perto. E com sorte, pode acontecer um bug que deixa a nave imortal (parece que ressuscitar a nave é o que causa o bug).

Novamente lhes escrevo que o jogo é jogável em browsers e nos iOS.

(Review – Android) Zookeeper Battle, Line e DX

25 de janeiro de 2013 5 comentários

Aumentando a lista de desastres inexplicáveis de hardware que me acontecem, meu celular Android se formatou sozinho duas vezes desde que eu o ganhei e eu perdi um punhado de jogos. Entre eles, o único que eu me importei em recuperar foi o puzzle Zookeeper Battle, que comentarei neste post.
O modo Normal é Yesbem
Zookeeper é um puzzle clone de Bejeweled que começou como um jogo online da Robot Communications em 2003 e ganhou ports para GBA, DS e PS2 nos anos seguintes. A partir de 2011 a Kiteretsu lançou o jogo no iPhone e no Android em três versões: DX, Battle e Line.
Esses elefantes não incomodarão mais ninguém
Como clone de Bejeweled com animais no lugar das jóias, o objetivo é unir três blocos de mesma cor na horizontal ou na vertical ao trocar dois blocos paralelos de posição. A diferença é que é possível mexer em blocos mesmo quando outros ainda estão em movimento. Por que isso não é padrão desde o primeiro Bejeweled eu não sei, mas é obviamente melhor e mais divertido marcar combos assim. Outra diferença é que ficar sem movimentos possíveis embaralha a tela ao invés de encerrar o jogo.

Zookeeper Battle
ZKbattle1
O único modo no Zookeeper Battle é o de multiplayer online competitivo com oponentes aleatórios ou uma CPU para treinamento. O jogo é gratuito para jogar, embora items de ajuda e Power Bottles para jogar mais vezes sem ter que esperar 6 minutos sejam normalmente apenas disponíveis através de microtransações.

Nesta versão multiplayer, entre os 7 tipos de blocos, 5 dão pontos de ataque enquanto elefantes e hipopótamos dão pontos de defesa. Um deles dará ambos e quanto mais combos, melhor. Após 30 segundos o jogo compara os stats dos dois jogadores e o que a defesa deles não aguentar será subtraída de seus 150 HP. Se o duelo não acabar em 5 turnos, quem tem mais HP ganha.

É um tanto raro ter uma grande defesa mesmo após alguns combos, o que complica pois ela é o stat mais importante. Não adianta ter mais ataque que o oponente se ele tem tanto quanto e um pouco mais de defesa. Para ajudar, às vezes aparece um coração para recuperar HP ou dois itens que afetam o adversário tirando a cor dos blocos ou adicionando um tipo inútil no tabuleiro. Esse efeitos só podem ser imediatamente removidos com os items mencionados anteriormente e apenas um deles pode ser equipado para uso.
O coelho no terceiro screenshot é a punchline
Para manter os jogadores interessados em jogar sem parar (e talvez comprar as Power Bottles para jogadas extras), os 10000 melhores jogadores da semana ganham alguma decoração para seu avatar para insinuar grande habilidade antes de uma partida. Quem vence 100 vezes durante a semana ganha um background. E quem entre um certo grupo ganhar mais vezes também destrava alguma coisa.

Às vezes também há combates com alguma variação do chefe Mecha Boss controlado pela CPU. É preciso derrotá-lo 3 vezes para receber um item aleatório e ele é programado para sempre conseguir stats altos, com alta probabilidade de também usar algum item. Em sua terceira versão ele sempre terá cerca de 130 pontos tanto em ataque quanto em defesa. Se perder, pode tentar continuar a luta usando uma Power Bottle. Como se valesse a pena gastar 6 lutas por isso.

Nem sempre eu tenho vontade de tentar vencer uma centena de duelos por semana, mas quanto mais eu jogo, mais eu atraso este post. Neste puzzler viciante só faltou um modo multiplayer local. Recomendo fortemente esta versão ou a do Facebook, que é praticamente idêntica.

Notas:
-Ao iniciar o jogo, ele tenta se conectar no servidor duas vezes. Se ele falha o menu principal é liberado mesmo assim, mas só funcionará mesmo se a contagem regressiva para ganhar créditos ou eles próprios estiverem visíveis no topo da tela.
-Se o jogo trava durante uma partida, isso é considerado uma derrota.
-Uma certa formação de blocos aparece várias vezes enquanto jogo, por vezes em vários rounds seguidos com pequenas modificações. Será que isso acontece de propósito?
-O personagem Zookeeper não aparece no jogo, mas o curador se mantêm como mascote.

LINE Zookeeper
LineZKeeper
O LINE é um programa de mensagens instantâneas para Android. Esta versão de Zookeeper associada ao LINE é jogável gratuitamente sem ele instalado, mas eu fiz um cadastro nele mesmo assim e ví que com isso é possível salvar pontuações ou combinar pontos com outros usuários na lista de amigos para vencer os chefes.

O único modo desta versão é um Time Attack de 60 segundos em que os blocos especiais que eliminam uma das cores de blocos aparecem mais frequentemente. Quando um certo número de cada animal é coletado, ocorre a mecânica Fever que transforma um dos tipos naquele que atualmente dá pontos duplos, gerando alto potencial para combos.

Como no Battle, há um chefe que aparece de vez em quando. Para derrotá-lo e ganhar um item, é preciso alcançar certa pontuação antes dos 60 segundos acabarem, mas se perder é possível continuar de onde parou no próximo crédito. Como escrito anteriormente, contatos do programa LINE podem unir seus placares.

Notas:
-Se o jogo falha em se conectar ao servidor, ele tentará infinitamente até conseguir e ele dificilmente consegue aqui.

Zookeeper DX Touch Edition
Notem os gráficos bugados
Este é um port comercial do Zookeeper do DS, mas apenas com o modo principal e o Tokoton. No modo normal a meta é juntar um certo número de cada animal antes do tempo acabar para subir o nível. No Tokoton o nível sobe quando se consegue 100 de apenas um tipo. O item que permite destacar por alguns segundos os movimentos possíveis pode ser usado 2 vezes no começo e é possível obter mais dele conforme a pontuação aumenta.
Sad
Dizem que após certa fase esta versão do jogo acaba e revela o passado trágico do curador e o por que dele odiar seu próprio zoológico. Não consegui alcançar o final e não só por causa da dificuldade, mas também porque ao contrário do que me diz a Google Play o jogo não é totalmente compatível com o meu celular e não fica encaixado direito na tela, o que distorce a posição dos objetos e estraga a jogabilidade.

Embora o jogo seja bom, é notável o quanto ele é simples se compará-lo com Bejeweled 2 e 3, que possuem mais powerups e interessantes modos extras de jogo. Não há multiplayer. É um tanto mentiroso esta versão se intitular “DX” como se houvessem muitas novidades.
The End
Conclusão
Entre as três versões, o Zookeeper Battle é o mais bacana por ser multiplayer, online e gratuito. Ter que esperar 6 minutos para ganhar créditos incomoda pouco já que dois duelos podem durar 3 minutos. Ele também tem os melhores gráficos e músicas (dá até para reconhecer o final de um turno só ouvindo a música). Se o DX vale a pena é por ter o modo normal de jogo, enquanto o LINE é um acompanhamento que deveria é fazer parte do DX.

Trailer de Treasure Adventure World

24 de janeiro de 2013 2 comentários


Conhecem o Treasure Adventure Game, um grande platformer indie lançado no final de 2011? Ele era um metroidvania cujas áreas são grandes ilhas que o herói pirata alcança com o seu barco portátil. As ilhas contém outras áreas e dungeons importantes que devem ser descobertas com a ajuda de mapas e uma bússola.

Ontem foi revelada a colaboração entre o Stephen “Robit Studios” Orlando e a Chucklefish para um projeto de remake comercial do jogo com gráficos cartunescos, um herói não mais careca e puzzles e enredo por vezes diferentes do visto no jogo original. O jogo será lançado durante este ano.

Retrotooslow News: Demos de Cataegis: The White Wind e Freedom Planet e algumas coisas fangueimísticas

8 de janeiro de 2013 Deixe um comentário

Retronotícias atrasadíssimas por eu ficar atrasando posts:

O Rodrigo Shin do blog O Ácido Cinza revelou há alguns dias informações e uma demo de seu novo jogo, o Cataegis: The White Wind. O jogo lembra um “pouco” o Strider, com ação intensa por parte de diversos inimigos e setpieces. Já na primeira fase o jogo é bem difícil e ao perder todas as vidas (notem que há respawn imediato entre elas) terá que começar de novo, mas a dificuldade não chega a se tornar injusta e é feito um bom trabalho em sempre manter o jogo divertido. Gostei muito disto.

E o Strife atualizou a demo do genial Freedom Planet, em preparação para a campanha do projeto no Kickstarter. Se estiver lendo isso e ainda não conhece o jogo, vá jogar logo que esse jogo faz perfeitamente o gameplay Sonicantemente alternativo que a Sega tanto tentou e falhou em fazer direito nos anos 2000.

Sobre fangames do Sonic, um novo trailer do Sonic XG confirmou que o Tails é jogável. O Sonic After The Sequel foi adiado porque apesar de estar pronto, a trilha sonora ainda não foi terminada. E Mercury tem postado informações de sua engine AeStHete na Sonic Retro.

E eu pretendo tentar incluir mais coisas no Project Spikepig durante estas férias.
Surprise Box