Início > Games, Reviews > (Review – Arcade) Super Free Kick

(Review – Arcade) Super Free Kick

Título: Super Free Kick
Console: Arcade
Produtora: Haesung
Lançado em: 1988


Introdução:
Enquanto pegava roms de arcade no Planet Emulation, encontrei esta variação futebolistica de Breakout. “Parece bacana”, pensei, enquanto era enganado mais uma vez.

Sobre o jogo:
Super Free Kick é um Arkanoid em que os blocos são uma barreira de futebolistas. No topo da tela há um gol e seu goleiro e para passar de fase é preciso marcar gols (até passar da pontuação da CPU) ou massacrar todos os adversários.

Nenhum dos dois métodos é fácil. A bola é rápida, o bastão é pequeno e toda vez que o goleiro põe as mãos na bola ele a arremessa aos jogadores invencíveis (cabelo azul e roupa preta) que então fazem passes perfeitos em ângulos imprevisíveis, quase sempre nos tomando uma vida.

Mesmo colocando o jogo no modo fácil e com 5 vidas, é pouco provável que se possa evitar o uso de vários continues (infinitos, sem perda de progresso) para passar as fases. Tamanha é a habilidade do goleiro e dos carinhas de cabelo azul.

A jogabilidade também não ajuda: o controle do bastão não é suave e eu tenho mais do que a impressão de que a bola passa por dentro dele algumas vezes.

É preciso marcar 3 gols para ganhar por pontos nesta fase.


Existem alguns powerups no jogo. Um aumenta o tamanho do bastão, outro chama um bumper pro campo e outro faz a bola colar no bastão. Todos são temporários, mas muito bem vindos.

Também é possível controlar o movimento da bola com Botão 1 + setas. Embora o goleiro seja sempre psíquico, isso ainda é útil para desviar dos jogadores invencíveis e acertar os normais.

Quanto a parte técnica, tem alguma coisa estranha debaixo do teclado do meu netbook e eu não consigo apertar direito a tecla L (antes era M e B).

É, parte técnica errada, mas se souberem como posso arrumar esse problema me avisem. =/

Voltando, os gráficos são simplões mas geralmente agradáveis, com sprites animados e cores diferentes pra cada tipo de jogador. O ruim é a tela de high scores, que é horrorosa. Já a música é um tanto irritante.

Conclusão:
Ao pesquisar sobre o jogo, descobri que só existe um texto sobre ele, uma parte de um artigo sobre jogos coreanos feito na Hardcore Gaming 101.
De acordo com o texto, a Haesung foi uma das desenvolvedoras coreanas de arcade mais antigas e este é o único jogo feito por eles de que se tem conhecimento.
Também foi um dos primeiros jogos a usar marketing indireto: cada fase tem um banner de alguma empresa coreana no campo.

O que esse Superman horroroso tem a ver com Futebol?


Por fim, embora eu curta jogar variações criativas de Breakout eu não me diverti muito jogando Super Free Kicks. As jogadas impossíveis do goleiro e de seus asseclas dão nos nervos rapidinho e a música não empolga.

Pra piorar, o MAME não tem suporte a savestate para esse jogo, portanto só pude chegar até onde a minha paciência me permitiu.

Categorias:Games, Reviews Tags:
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: