Início > Games, Reviews > (Review – Game Boy) Serpent

(Review – Game Boy) Serpent

Título: Serpent
Console: Game Boy
Produtora: Naxat Soft
Lançado em: ??/11/1990


>>Introdução>>>>>
Suponho que vocês já conheçam o clássico Snake, jogo baseado no arcade Blockade lançado em 1976 e que se tornou o primeiro jogo de celulares em 1997 ao aparecer nos celulares da Nokia.

Mas como eu começo praticamente todo review falando o óbvio…
Snake é aquele jogo em que se controla uma cobra em busca de maçãs. A cobra cresce toda vez que come uma maçã e o objetivo é jogar pelo maior tempo possível sem bater nas paredes ou na própria cobra.

Só que em Serpent/Kakomun Hebi, variação lançada pela Naxat Soft para o Game Boy em 1990, as regras são um tanto diferentes.

>>WE ARE THE ALPHA FORCE>>>>>
E por diferentes, quero dizer que Serpent mostra uma batalha entre duas cobras robôs e o objetivo é cercar o oponente, matando-o por asfixia. Bater nas paredes ou partes corporais não faz nenhum mal imediato.

Há dois modos de jogo com 4 níveis de dificuldade cada. Mas a única diferença entre os modos A e B é que no B o adversário atira cobrinhas que podem matar instantaneamente o jogador.

Há também uma opção multiplayer que me parece uma boa idéia… Mas multiplayer portátil nessa época era algo imprático.

>>Dificuldade>>>>>
Sobre os níveis de dificuldade, ao jogar no 3 ou no 4, o computador ganha a habilidade de trocar a posição da cabeça de sua cobra para fugir. É necessário cercá-lo completamente para que ele continue preso e exploda.

A IA do computador é boa, acho. Quero dizer, ele sabe cercar, escapar e apanhar itens, mas eu também o derrotei várias vezes segundos após o início de um round enquanto ele fazia, repetidamente, os mesmos movimentos suicidas. E isso mesmo no nível de dificuldade 4. O pior é quando o cara se mata sem eu sequer me aproximar dele.

>>Items>>>>>
Eu falei em items? De vez em quando aparecem alguns. Os números claros aumentam o comprimento da cobra e os escuros diminuem.

E também há mísseis.
Um míssil branco e um preto. Ambos são capazes de perseguir o oponente.
E o que eles fazem? …O branco deixa o oponente lento… e o preto o deixa rápido. Pra nós, ficar demasiadamente rápido nem sempre é uma vantagem, mas se o computador toma um míssil preto nas fuças…
…A gente se ferra.
Sério, o desgraçado para com o que quer que esteja fazendo e faz um cerco imediato e inescapável.
(Insira mil palavrões aqui)

>>Gráficos e músicas>>>>>
O jogo tem gráficos… ele tem? Tem, mas pouco. Os sprites são 4X4 em sua maioria e as cobras mais parecem ratos imitando vaquinhas. É tudo muito simples e o background é vazio.

E quanto as músicas, há “uma” bela música que toca durante o duelo e alguns jingles para a tela de vitória ou derrota. …E eu escrevi “uma” com aspas porque ela tem 3 partes e é looonga. É como se o jogo nos convidasse a enrolar a luta o máximo possível para ouvir tudo.

>>O amargo sabor de problemas>>>>>
Agora, os problemas. Primeiro, a jogabilidade é estranha e inicialmente confusa. ao invés de usar só as setas, o A é usado para virar no sentido horário e a seta para a esquerda, para o anti-horário. Ainda pior pra mim que usa o teclado do PC.

Aqui eu ganhei por um triz.


E também, cada partida tem um mínimo de 7 rounds. 7. Como o jogo não tem mais fases, gimmicks e coisas do tipo, resolveram encher linguiça dessa forma.

>>Conclusão>>>>>
Eu gostaria de saber quanto é que cobravam por este jogo na época em que foi lançado, já que ele tem tanto ou menos conteúdo que esses minigames que vemos em lojas de variedades…
Mas o bom é que o conceito é interessante e diverte. Vale a pena jogar uma dúzia de rounds mesmo que só por causa da música.

Isso aí aparece após uma vitória 7X0 contra a CPU.

Categorias:Games, Reviews Tags:, ,
  1. 1 de dezembro de 2010 às 9:41 AM

    Caramba, nem sabia que havia uma versão americana desse jogo!

    Eu tenho o cartucho japonês do jogo, e permita-me corrigí-lo: o jogo chama-se Kakomunja (かこむん蛇), apesar de que Kakomun Hebi tenha o mesmo significado e leitura. Kakomu significa cercar, e ja significa cobra.

    E na época do lançamento esse jogo custava ¥ 3.090,00, algo em torno de R$ 63,00 na cotação atual.

  2. 1 de dezembro de 2010 às 2:03 PM

    Obrigado pela informação. A Gamefaqs e suas variantes é que chamam o jogo de “Kakomun Hebi”. Já em sites de roms, a versão japonesa é simplesmente chamada de “Serpent”.

  3. 64gamers
    1 de dezembro de 2010 às 9:08 PM

    Prefiro quando era sepert no bom e velho nokia tijolão esse ai e muito complicado pra minha mente.
    Jogo na epoca deveria custar muito menos que 63 reais pois naquela epoca ainda era os tais cruzados

  4. 2 de dezembro de 2010 às 11:54 AM

    Maneiro, não sabia dessa versão… eu sou fanático pelo “jogo da cobrinha”, jogo direto no meu celular. Mesmo que pelo review a versão de GB não pareça grandes coisas, vou dar uma conferida.

    In other related news, o blog tem andado bem legal! Os posts sobre Sonic e fangames do Sonic são ótimos, e quando fala sobre outros jogos você geralmente escolhe uns pouco conhecidos e bem interessantes. Parabéns!

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: