Início > Games, Indie, Reviews > (Review – PC) Hero Core

(Review – PC) Hero Core


Introdução:
Hero Core é um jogo de ação lançado em 2010 pela Remar Games (De Iji e Retrobattle) que continua a história da eterna guerra entre Flip Hero e Cruiser Tetron contada no Hero original lançado em 2005.

Sobre o Jogo:
Hero Core expande e melhora todas as características de seu antecessor. É um jogo de shoot’em up cujas fases são interligadas como em Metroid. Flip Hero deve explorar a base de Tetron em busca dos chefes, que quando derrotados aumentam o poder das armas e a defesa do herói.

Apesar de algumas passagens estarem bloqueadas por blocos que só podem ser destruídos por uma arma que Flip não possui desde o início, há bastante liberdade para procurar outras rotas e assim prosseguir pelo jogo numa ordem bem diferente da recomendada pelo mapa. Raios, é possível até ir direto ao Cruiser Tetron sem ter derrotado nenhum outro chefe!

No jogo, Flip pode usar duas armas, que são uma pistola, que começa fraca e uma espada, que começa quebrada. Quando a pistola chega até sua forma mais forte, passa a causar dano dobrado nos inimigos. Ela também possui um modo autofire que curiosamente, só é revelado no modo Boss Rush! A espada, quando consertada, pode quebrar os blocos de barro que bloqueiam certas passagens, e também canos a partir do nível 2. Ela é pouco útil em combate, mas pode ser usada para bloquear projéteis e derrotar mais facilmente alguns chefes. As armas não podem ser usadas se Flip estiver sobreaquecido, o que ocorre quando ele passa por dentro de lava ou é atingido por certos ataques. Alguns upgrades deixados por chefes eventualmente o tornarão imune a isso.

A jogabilidade do jogo é simples e bem explicada pelo jogo. Setas movem o Flip, Z atira para um lado, X pro outro, e a barra de espaço liga o autofire. A tecla Enter faz aparecer um mapa que marca os lugares já explorados e a localização do próximo chefe, enquanto a tecla Esc ativa o menu de opções.

O jogo tem uma boa variedade de inimigos. Alguns são bem fracos, sendo uma perda de tempo lutar com eles. Já outros enchem a tela de tiros e demoram a morrer. Em algumas telas, é necessário matar todos os inimigos para poder desbloquear uma porta e às vezes, a própria porta é o inimigo que deve ser destruido!

Também existem vários chefes legais no jogo. Alguns, como o primeiro, remetem a Gradius pois é necessário destruir seu núcleo que é protegido por algumas barreiras. Um dos chefes é um enorme robô que deve ser destruido por dentro enquanto vários círculos de tiros voam pela tela. Outro chefe legal é um pequeno robô que cria uma série de capangas e então passa a usá-los como escudos e projéteis enquanto procura confundir o jogador, misturando-se no meio deles! Curiosamente, alguns chefes tornam-se mais faceis conforme são feridos.

O jogo tem gráficos simples em preto e branco. Apesar dessa simplicidade, o jogo é cheio de pequenos detalhes que diferenciam bem cada área do jogo, como os vários inimigos desativados, plantas e blocos que só aparecem em certas telas.
As músicas retro também são boas de se ouvir, especialmente a que toca durante as batalhas contra os chefes.

Em questão de dificuldade, Hero Core é um jogo muito difícil em alguns momentos, mas é geralmente uma dificuldade justa. O Flip não morre mais num tiro só como no original, mas infelizmente, o tempo em que ele “pisca” ao ser atingido é muito curto, e é comum ser atingido por um tiro atras do outro nas telas mais complicadas. O pior é que Flip não pode atirar enquanto está piscando, mesmo que não esteja sobreaquecido. Quando Flip explode, ele é transportado ao último save point visitado, sem perder nenhum progresso feito. Também é possível se transportar para qualquer save point já visitado a qualquer hora ao segurar os dois botões de tiro por alguns instantes.

Hero Core é um jogo curto, que pode ser terminado em uma hora, ou até em menos de dez minutos dependendo do caminho escolhido, apesar de que o final “bom” do jogo só aparece ao adquirir uma série de itens espalhados pelo jogo.
Porém, o jogo tem vários extras e segredos que aumentam o fator replay. O modo Hard, por exemplo, não só é mais difícil como também tem level design completamente diferente do modo Normal. Também existem outros modos como Boss Rushes, um mundo infinito e uma dificuldade extra, que novamente é uma fase inteiramente nova.

Concluindo, Hero Core é um dos melhores freewares do ano, sem dúvida. O primeiro Hero era repetitivo, frustante e um tanto confuso. Hero Core não. Recomendadissimo.

Baixem o jogo aqui:
http://www.remar.se/daniel/herocore.php

Categorias:Games, Indie, Reviews Tags:,
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: