Início > Games, Reviews > (Review – Arcade) Cameltry

(Review – Arcade) Cameltry

Introdução:
Nos jogos do Sonic, sempre há (bom, DEVIA haver) uma série de fases separadas do jogo principal onde o Sonic deve coletar as Esmeraldas do Caos. Essas fases, chamadas de Special Stages, são minigames cuja forma e objetivo varia de jogo para jogo.
No primeiro jogo da série, o objetivo dos Special Stages era guiar o Sonic através de um labirinto rotatório, até a Esmeralda do Caos, enquanto evita as esferas GOAL, que o mandam embora da fase sem a esmeralda.
A música de ninar da fase, e a criatividade de seu design tornou essa fase uma das favoritas dos fãs.
Só que eu acabei sabendo que o conceito do jogo não era tão original assim: as fases especiais de Sonic 1 são baseadas num jogo de arcade chamado Cameltry, lançado pela Taito em 1989, que eu analisarei neste post.

Enredo:
Eu acho que o jogo não tem enredo, não. E nem precisa.
Ainda assim, cada grupo de fases possui um final simples e um tanto bizarro, que, pensando bem, não fazem sentido algum, mas ainda assim ganham daquela tela de game over do Shinobi do Master System.
Também não entendo o porque do jogo se chamar “Cameltry”. Apesar de soar melhor que “On The Ball” e “Labyrinth”, o jogo não tem nada a ver com camelos!

Sobre o Jogo:
Como em Sonic 1, o objetivo do jogo é guiar uma bolinha de gude até o final de um labirinto. Só que o labirinto não gira sozinho e o jogador é que tem de girar a tela. No arcade, isso era feito ao girar um botão para a esquerda ou a direita, e em emulador, não há problemas em usar as setas do teclado para isso. Um outro botão é usado para fazer a bola saltar enquanto está parada em uma parede, ou acelerar enquanto está caindo.
O jogo é formado por 4 conjuntos de fases divididas por dificuldade. Os 2 primeiros tem 6 fases cada, e os outros dois, 8 e 10, respectivamente.
Enquanto que em Sonic 1 é necessário explorar o labirinto em busca da “saída” correta, as fases de Cameltry são bem lineares, mas há um limite de tempo para terminá-las. É importante saber procurar possíveis atalhos e manter a bola se movimentando rapidamente para completar as partes mais difíceis do jogo. O jogo também facilita a progressão pelas fases ao constantemente apontar à direção da meta com flechas. Também existem números desenhados nas paredes, para dar uma idéia de quanto falta para se chegar até o fim da fase.
Nos labirintos, existem blocos que só são destruídos quando a bola bate com força neles. Alguns deles contém itens que podem parar o tempo, dar ou TIRAR alguns segundos, ou não servir para droga nenhuma. Blocos com um “X” desenhado neles devem ser evitados, pois tiram 2 ou 5 segundos do relógio do jogo. Eles parecem ser nocivos a saúde da bola protagonista, já que ela até fala “OUCH!” toda vez que cai num bloco X.
Quando o tempo acaba, o jogo dá uma única chance de conseguir mais tempo através de um minigame de roleta: se o jogador parar o cursor no número que foi escolhido pela CPU, pode continuar o jogo com mais 20 segundos. Se falhar, terá de colocar uma ficha e começar a fase desde o início.
Quando uma fase é terminada, o tempo restante é somado a cerca de 40 segundos para serem usados na fase seguinte. Há um minigame de caça-níquel entre certas fases que dará alguns segundos a mais. Não é necessário se preocupar em marcar o mesmo número nos 3 slots da máquina pois o prêmio é a soma dos três números.
Cameltry tem bons gráficos, com belas paisagens no fundo das fases, indo além dos simples backgrounds de bichinhos do Sonic 1. O problema é que alguns dos backgrounds são reusados durante o jogo. É muito anticlimático descobrir que a última fase do Special Course usa o tranquilo background da penúltima fase do Expert, por exemplo.
As músicas do jogo são legalzinhas, mas pra falar a verdade, eu mal reparei nelas enquanto jogava, pois a música acaba sendo ofuscada pela pressa em terminar as fases, e pelos efeitos sonóros.
Também há um modo de 2 jogadores, em que os jogadores jogam as fases um de cada vez. Ao final de cada fase, o jogador que a terminou mais rápido ganha mais 5 segundos para a próxima. Não é muito empolgante, não.
O jogo não é muito complicado de terminar. Meia hora e dois ou três continues devem bastar para terminar todas as suas fases.
Enfim, Cameltry é um bom e criativo jogo de ação (?) para arcades. O jogo foi portado para o SNES e o computador FM Towns. Também foram lançadas duas continuações, para o DS e o iPhone.

Leia o review da versão SNES aqui.

Categorias:Games, Reviews Tags:
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. 19 de junho de 2010 às 1:35 AM
  2. 9 de novembro de 2010 às 9:01 PM

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: