Arquivos

Archive for julho \18\UTC 2011

Diário de Buddy Rush: O Deserto de Questern

18 de julho de 2011 2 comentários

O negócio chegou ao ponto de ficar um dia inteiro travando nessa parte.


Depois de vários dias com problemas, Buddy Rush voltou a carregar instantaneamente pra mim e eu pude jogar mais algumas fases com o Worrier (mas não tenho tido vontade de jogar com o Wizz). It’s Diário de Bordo time.

No post anterior eu ainda estava no meio do capítulo de Bootomb, derrotando franksteins e ajudando vampiros-de-crapúsculo a derrotar vampiros-wannabe. Houve também uma luta contra uma súcubo-chibi na última missão.

O capítulo seguinte foi Questern, localizado no velho oeste e com índios como vilões. Alguns deles cavalgam em seus cavalos de brinquedo movidos à mola (SÉRIO) e usam uma perigosa sequência de pancadas. Outros atiram bumerangues rapidamente e também podem causar alto dano. Os chefes do capítulo são o chefe da tribo e sua filha que tenta salvá-lo quando ele é capturado.

No meio do capítulo há uma surpresa: os cowboys é que são os verdadeiros vilões e estão tentando roubar um totem sagrado dos indios. Os cowboys vem em dois tipos: um usa seu revolver para dar coronhadas (eles não sabem usá-las. Sério) e outro atira bombas, que como as pedras vistas no primeiro capítulo, são perigosíssimas. O verdadeiro vilão é o xerife que havia aparecido no começo do capítulo e os heróis o enfrentam com a ajuda dos dois chefes anteriores. É uma fase bacana.

Eu não esperava reviravoltas de um jogo sem enredo como este. Pena que como nos capítulos anteriores, não há final para a historinha.

…E antes que eu me esqueça, para terminar o post eu gostaria de lhes informar sobre onde o jogo SE JOGA. Anotem aí, as frases de sabedoria do guarda com quem temos que conversar para começar uma missão:

“Desculpe, sou casado. Gostaria de ter conhecido você antes.”
“Vestir as calcinhas dos oblins é bom para a estamina, ainda que pareça nojento.”
“Acho que temos nos visto demais recentemente.”
“Pare de tocar meu………!”
“Algum problema? Ou está interessado em mim?”

…Lembrem-se, crianças: não há nada mais legal do que ser abraçado por alguém que vocês gostem, mas se uma pessoa lhe toca em um lugar ou de uma maneira que os façam se sentir desconfortáveis, isso não é bom. São os seus corpos e ninguém tem o direito de lhes tocar se vocês não quiserem. Então o que fazer? Primeiro vocês dizem “NÂO!” e então vocês dão o fora daí! …Mais importante, vocês devem conversar com alguém em que confie, como seus pais, professores ou policiais.

Agora vocês sabem. E saber é metade da batalha.

E vão indo que eu não vou. Eu vou…

…Pra praia.

(Indie) Magnetizer

Título: Magnetizer
Console: PC
Criado por: Arkhaor
Lançado em: 20/06/2011


Com certeza vocês já viram em algum RPG puzzles em que os personagens passam por cima de gelo e devem usar blocos e paredes para ir do ponto A ao ponto B, pois não conseguem parar de escorregar. É uma gimmick bem comum.

Magnetizer, vencedor da mais recente Game of the Week da The Daily Click, é 57 fases disso mais caixas, setas, portais, um editor de fases e ausência de gelo.

Hora de pensar com portais.


Os grupos de fases são destravados ao terminar pelo menos 4 fases do grupo anterior. Se completar as fases em poucos movimentos, o que geralmente é difícil, ganhará medalhas.

Enfim, mais um bom puzzle pra coleção.

Link:
http://create-games.com/download.asp?id=8483

CategoriasGames, Indie, Reviews Tags:

(Review – PC) Momodora 2

Título: Momodora 2
Console: PC
Criado por: rdein
Lançado em: 10/07/2011

Que tela título mais... sem graça...


Foi lançada “ontem” a continuação de Momodora, um freeware lançado há quase um ano. Momodora terminava com a heroína, Isadora, descobrindo que não conseguiria ressucitar sua mãe. Ainda assim, ela tem uma última conversa com o fantasma da mãe e recebe um prêmio de consolação…

…Que de acordo com a continuação é uma transformação demoníaca que a deixou DUMAL e agora uma nova protagonista, Momo, deve matá-la para trazer paz de volta a Terra.

Comofas/

Em New Game + a Momo começa sem alguns items, mas mantém seu HP e a folha verde.


Momodora 2 é bem melhor do que o primeiro. Pra começar, ele roda lisinho, ao contrário do outro cujo FPS fica entre 1 e 30 na maior parte do tempo. O level design, inimigos, cenários e gráficos me parecem realmente próximos daquela magia que vimos uma vez no Cave Story.

O arsenal de Momo é simplificado. Só há uma folha para atacar inimigos próximos e amuletos para destruir barreiras e atacar monstros de longe. Momo também é rápida e a maioria dos ataques inimigos tiram apenas 1 quarto de HP, o que acaba deixando a maior parte do jogo bem fácil.

Essa menina me lembra o Strider. =T


Há só 3 chefes. As duas primeiras (que são a mesma personagem) podem ser vencidas facilmente só metralhando o botão de ataque na cara delas. É ridículo. A luta com a chefe final é mais empolgante, mas achei meio sem-graça a parte final ser reciclada da primeira parte da chefe final do Momodora 1.

O jogo é muito curto. Da pra terminar em menos de meia hora com a maioria dos items sem problemas, mas encontrar o décimo HP e a folha verde que permite salvar Isadora e ver o final feliz do jogo pode levar mais algum tempo.

Mas mesmo fácil e curto Momodora 2 é uma boa adição a lista de jogos indie legais deste ano.

Link:
http://www.elektrobear.com/rdein/momodora2.html

CategoriasGames, Indie, Reviews Tags:

(Review – PC) Sonic Maze Mania

6 de julho de 2011 1 comentário

Título: Sonic Maze Mania
Console: PC
Criado por: Clwe
Lançado em: 08/01/2002


Vejam só o Sonic Maze Mania, velho fangame criado pelo mesmo cara que criou o Zone Racer e criado no mesmo período. É um mashup de Sonic e Pac-Man em que o ouriço tem que correr por cima de todos os tiles dos labirintos enquanto desvia de fantasmas. O Sonic pode pular como o Pac-Man no Pac-Mania para desviar de fantasmas e de buracos sem fundo, tem barra de HP e pode pegar alguns powerups que passam correndo pelo labirinto.

Até que poderia ser legal, mas há uma falha grave de design no jogo: há um tipo diferente de tile escondido entre os demais que deve ser virado duas vezes. O problema é que esse tipo de tile é idêntico aos demais. O problema é que vários deles só podem ser virados numa só direção. O GRANDE problema é quando passamos por eles por acidente após virá-los – eles se desviram.

Imaginem como é tropeçar sem parar nesses tiles enquanto se encontra cercado por cerca de 6 fantasmas vindo de todos os lados. Por causa disso o jogo acaba se tornando confuso, irritante e até pior do que o Sonic Labyrinth.

Link de download:
http://homepage.ntlworld.com/christopher.lowe7/sage/game2.html

(Review – PC) Zoneracer

1 de julho de 2011 1 comentário

Título: Zoneracer
Console: PC
Criado por: Clwe
Lançado em: 2002

Nota: Sally - QFTPS nunca foi terminado.


Zoneracer é um velho fangame de Sonic feito por Clwe, o mesmo cara que criou o beat’em up da Amy. Já conhecia o jogo por nome, mas só joguei pela primeira vez ontem.

O jogo é do gênero corrida em carro contra o tempo e o Sonic pilota aquele Cyclone/Ferrari F40 do Drift. O jogo também é frustante que nem o infâme Turbo Tunnel de Battletoads.

O objetivo em cada fase é chegar ao final antes do tempo acabar. No caminho deve-se mover pros lados, pular ou evitar pular para desviar de um monte de obstáculos.

O jogo não perdoa. As fases são longas, vão ganhando obstáculos complexos e se bater em algo mais de 3 vezes, pode até desistir e esperar o tempo acabar. Perder “apenas” o trará de volta ao início da fase, mas sistema de saves o jogo não tem. Eu cheguei até a Launch Base (penúltima fase) e acabei me ferrando porque o jogo resolveu travar, o que já me aconteceu duas vezes. Talvez tenha algo à ver com o bug de efeitos sonoros.

Uma das fases do jogo no MMF2.


De acordo com as instruções do jogo, há bônus de pontos caso o jogador consiga ficar em velocidade máxima o tempo todo ou não bater em nada ou pegar todos os anéis. Também há um bônus de perfeição caso consigam as 3 proezas juntas, o que requer imensurável decoreba.

...


Se curtiram meu Crazy Sonic, não há muito como não gostar de Zoneracer. O jogo é curto, mas não pode ser terminado sem decorar as fases. A parte técnica é bem feita apesar dos ocasionais problemas de colisão. Em geral é um tanto bacaninha e me lembra dos estágios especiais do WTGBSE, ou daquele minigame do Sonic de um Mc Lanche Feliz americano de anos atrás.

Link de download:
http://homepage.ntlworld.com/christopher.lowe7/sage/game1.html

!!!!!!!!!!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 376 outros seguidores